Sobrevivência feminina: as mulheres também podem (e devem) se preparar!

Olá time, tudo bem com vcs?

Há alguns dias aconteceu um negócio chato dentro do Bus, que me fez pensar neste texto.
Estava voltando do ortopedista que trata do meu joelho (estava com um maldito cisto de Baker, à base de paracetamol e sem poder forçar o joelho) e antes da metade do caminho subiu uma moça, aparentemente voltando do trabalho, que encostou próximo de minha cadeira e ficou olhando o celular por quase toda a viagem. Poucas paradas depois, subiu um cara, que aparentava ter cerca de 40 a 50 anos, e encostou ao lado da moça. De início parecia algo normal, mas a medida que o ônibus foi balançando, ele foi encostando no corpo da moça e ela foi ficando visivelmente incomodada!
Demorei a tomar alguma atitude, mas “gentilmente” olhei pra cara do safado como quem perguntasse “é sério que tu tá fazendo essa merda aqui?”. Ele saiu, e a moça quase grita de felicidade, apesar dela achar que ele tinha saído por conta própria.
Este relato pode causar impacto em algumas pessoas que não estejam acostumadas a ver este tipo de atitude no cotidiano, mas assédio e violência contra a mulher são mais comuns do que se imagina, e acontecem todos os dias em todo local, como nos exemplos abaixo:
  • O caminhoneiro e seu ajudante que passam de frente à parada de ônibus e gritam com as moças, “eita gostosa!”;
  • O motoqueiro que passa por uma mulher e buzina como se nunca tivesse visto (sim, qualquer pessoa inteligente percebe o porque vc faz isso, seu vagabundo fedendo a gasolina);
  • O cara que se esfrega em mulheres dentro do busão;
  • O pedreiro que grita “ei gostosa” quando vê uma mulher na frente da obra;
  • O empresário que para o carro e pergunta se a desconhecida quer uma carona (elas sabem sua intenção, taradão da madrugada);
  • O cara que está na festa e puxa o cabelo das mulheres.

assedio no onibus

Situações como estas fizeram, em algumas cidades do país, com que os orgãos públicos criassem, nos metrôs e ônibus, vagões e linhas especiais para o público feminino. Mas quando vc, mulher, não está nestes ambientes, torna-se vulnerável, seja na rua ou mesmo na própria residência, como mostram as estatísticas.

pesquisa-violencia-grafico-pg-15

mortalidade---violencia-contra-mulheres

 

grafico violência doméstica

Apesar da criação de leis e penas mais duras para os agressores, existem outras formas de evitar e afastar os homens mal intencionados:
  •  Denuncia: o ponto inicial, independente do agressor ser seu companheiro ou não, é avisar às autoridades (in)competentes. Feito isto, eles estarão de sobre aviso que vc está sendo vítima de violência doméstica ou que há alguém atacando mulheres em determinado local. Isto ainda abre um precedente para as outras formas de defesa que vc poderá utilizar caso aconteça um novo ataque;Ligue-180-
Os outros pontos abordados abaixo dizem respeito ao critério de legítima defesa, que acontece quando:

 Art. 25 – Entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem. 

 

  • Lâminas: quem disse que canivetes e multifunções são coisas só de homens? Claro, o mercado de cutelaria preza mais por esse público porque somos aficionados por estes objetos, mas isso não impede que uma mulher porte um Victorinox em sua bolsa ou no bolso da calça, uma lâmina prática, pequena, de altíssima qualidade e que faz um estrago num possível agressor.
    Vantagem: segundo o código penal brasileiro, há uma legalidade para o porte de lâminas, posto a legislação citar apenas que o crime é cometido apenas no porte de arma sem licença (portanto, armas de fogo). Maiores informações em: A legalidade sobre o uso de facas.
    Desvantagem: proximidade do agressor, pois a não ser que vc seja uma excelente atiradora de facas, vc necessitará chegar próxima do agressor e golpeá-lo.

mulher com canivete]

  • Spray de pimenta e semelhantes: bom, o spray de pimenta em si é um produto controlado, devendo apenas ser utilizado pelas forças armadas, portanto o porte do mesmo por civis é proibido. Mas vc tem outras opções no mercado, como o caso spray de gengibre, que apesar de mais fraco, consegue atordoar o agressor cerca de um minuto, lhe dando tempo de fugir ou pedir ajuda. Vantagem: dependendo do tipo de spray (gel ou espuma) distância maior do agressor, permitindo que ele não encoste em vc. Desvantagem: Se vc não acertar especificamente no olho do mesmo, dificilmente ele irá parar, então esteja segura de que tem um ângulo de disparo certeiro nos olhos do malfeitor. Por sua conta e risco: segue receita de como fazer um spray de pimenta caseiro, para fins de defesa pessoal, mas saiba que vc poderá ser indiciada pelo uso do produto contendo capsaicina (o que causa o ardor da pimenta): Receita de spray de pimenta caseiro .

mulher com spray de pimenta

  • Tasers (armas de choque): estas são expressamente proibidas, então o uso pode trazer sérios problemas com as forças policiais competentes, mas como o que está em jogo é sua segurança, vc poderá encontrá-las em formato de lanternas, celulares, teasers convencionais (o aparelho que gera faíscas na ponta) e a pistola de choque (aquelas utilizadas pelas guardas civis e militares). Vantagem: no caso das pistolas, a distância do agressor, que irá desmaiar no chão por alguns segundos. No caso dos formatos de celular ou lanterna, o simulacro ajuda o vagabundo a botar a mão para tomar o choque. Desvantagem: os formatos vendidos ilegalmente, podem não ter a eficácia de apagar o agressor na hora, o que poderá apenas irritá-lo e fazer com que a coisa piore pra vc, se não estiver segura do resultado daquilo que irá realizar, não utilize.

Mulher com taser

  • Armas: pessoas, lembrem-se, estamos falando de sobrevivência! Não quero dizer aqui que vc deverá guardar uma escopeta embaixo do travesseiro pra atirar no seu marido que te traiu! Estou falando de uma situação onde seja vc vs. agressor! É possível que a lâmina dê conta do safado, sobretudo se vc acertar algum lugar vital (a femural direita, a carótida, a bexiga, etc), mas e se o caso for mais sério, alguém querendo invadir sua casa? Nem todos tem porte de arma, por ser ilegal e pela dificuldade de acesso, mas um estuprador não está ligando para ilegalidade do ato, então vc também não deveria ligar para isto ao se proteger. Caso vc possua o porte e aconteça algum problema mais sério, uma tentativa de agressão, uma tentativa de homicídio, use! Antes ele do que vc! Vantagem: distância do agressor e intimidação do mesmo! Se ele for um criminoso sexual, ele provavelmente nem chegará perto, mas se chegar, atire no chão, próximo dele. Desvantagem: Barulho, e caso a arma seja ilegal, vc será presa…

Bom, espero que entendam que aqui não faço apologia à violência, mas cito o lema dos sobrevivencialistas e escoteiros como forma de conscientizar as pessoas sobre os perigos do mundo atual:

Prepare-se para o pior, reze pelo melhor!
Estejam preparadas e vamos pra natureza!
Artigo originalmente publicado no Blog WildLife Ceará.

Colaborador The Geographer (WildLife Ceará)

WildLife Ceará Escreveu 25 post para esse blog.

Um professor de Geografia, ex-escoteiro, sobrevivente urbano e litorâneo, explorador da natureza, recém iniciado no bushcraft e não muito fã de acampamentos. Curto trekking, rapel, caiaque, pesca e caminhadas na natureza. Uma fogueira com alimento em cima levanta qualquer ânimo. Como digo na WildLife Ceará, vamos pra natureza!

Visite a Loja do Sobrevivencialismo


4 thoughts on “Sobrevivência feminina: as mulheres também podem (e devem) se preparar!

  1. Bom texto exceto pela rotulação dos profissionais pois já trabalhei como motorista, ando de moto e sou professor atualmente. Sempre preferi ter a melhor atitude possível pois considero que tudo que fazemos, retorna independente de ser uma boa ou má atitude. Minha mãe foi genial ensinando o respeito ao próximo, independente de quem seja. Sou casado, tenho três filhos e todos respeitam e até repassam esse comportamento. A má atitude está no indivíduo, não na classe. Futuramente, rotule menos. E obrigado por dar espaço para eu expor minha ideia e parabéns pela abordagem esclarecedora a defesa pessoal, embora as técnicas apresentadas sirvam para ambos os sexos.

    1. Obrigado pelo comentário Felipe!
      A ideia não foi rotular ou generalizar, mas citar que essas são algumas situações comuns na vida de mulheres que estão na rua, etc.
      Quanto aos métodos de defesa, de fato podem ser utilizadas por todas as pessoas, mas nós homens temos maior contato com a ideia do sobrevivencialismo, enquanto muitas mulheres podem vir a se interessar por formas mais imediatas para defesa, enfoque que não é muito abordado pelos próprios produtores de conteúdo na internet!
      Vamos pra natureza!

  2. Calma lá!!! Sabe como eu conheci a MÃE DA MINHA FILHA ???
    OFERECI UMA CARONA!

    Oferecer carona, conversar com uma desconhecida, insinuar interesse… Não é agressão, nem falta de respeito.
    Passar a mão em partes íntimas de desconhecidas, sim.

    1. Não é bem assim, Thiago.
      No caso, não é vc que pode dizer isso, e sim a mulher que passa por esse tipo de situação.
      A grande maioria das caronas oferecidas não são oferecidas por simples bom coração, exatamente por isso a grande maioria das mulheres não aceita.
      Entendo o seu ponto de vista, mas em termos de sobrevivência, uma mulher aceitar ou não uma carona pode definir se ela vive ou morre.
      Vc está pensando em si, e não nelas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *